Noite de Reflexão

|
Perdoem-me os surdos! Por aquela noite de verão, porém que fique bem claro que os sons que eles não ouvem é comparável ao amor que não demonstro.

Sou frio como a neve e meu coração é negro como a noite! É isso que digo para mim mesmo, sei que são expressões demasiadas, todavia as uso como refugio. Este foi o único recurso que me veio em mente após várias decepções.

Sejamos sinceros! Já se passou muito tempo para estar se remoendo em pesarosas lamentações. Algo alegre ela me pediu, não comecei bem (você mesma viu), contudo hei de recuperar o tempo perdido, agora meus pensamentos estão envoltos pelo seu sorriso e a partir do seu retirarei os meus.

Retiro agora as exclamações, e desminto o que falei no início, demonstro meu amor sim (os surdos estão sós), através das palavras. Há desta vez, nessa noite de reflexão, alguém que me serve de inspiração, que esteve presente em todos momentos que julgo importante, não me deixando afundar em tristezas fúteis e retirando-me de alegrias surreais.

Estás longe neste momento, a distância incomoda, entretanto estás pulsante dentro de meu peito. Espero que quando vieres me encontres, morro de saudade e na hora de matá-la vinhas em minha casa e não me encontravas, mas saibas que isso é efeito de tuas próprias palavras, relacionando meu tédio ao meu confinamento, por isso saí para sentir bater em meu rosto, o vento.

Como em todas as noites o sono cresce com fervor, vou dormir feliz, pois minha melhor amiga é o meu amor.

6 comentários:

Poeta do entardecer disse...

Teu texto é maravilhoso. Parabéns.

willian disse...

Todos os textos sao muito bons mesmo..Parabéns!
vou ficar ligado esperando mais.

Julian disse...

Brigadão!! continuem acompanhando!

ariadni disse...

se deu mtttt, parabéns :D

Julian disse...

vlw ae!!!!

Daiana disse...

Tu é muito bom. Eu sempre soube :P

Postar um comentário